quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

PROJETO DE INTERVENÇÃO



logo-ufba


UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA
FACULDADE DE EDUCAÇÃO
PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO
ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU EM GESTÃO ESCOLAR

 


                                      ROQUE CAVALCANTE SANTOS

 
                  FORTALECER A PARTICIPAÇÃO DA COMUNIDADE NE ESCOLA
 


 
Vitória da Conquista
2012
 
ROQUE CAVALCANTE SANTOS

 





                              FORTALECER A PARTICIPAÇÃO DA COMUNIDADE NE ESCOLA


Projeto de Intervenção apresentado à Universidade Federal da Bahia, como requisito parcial à obtenção do grau de Especialista em Gestão Escolar.
Orientador (a): Professor - Marcelo Ribeiro dos Santos



Vitória da Conquista
2012


SUMÁRIO


1. Introdução.. ...................................................................................................................................3
2. CARACTERIZAÇÃO DA UNIDADE ESCOLAR ................................................................6
3. JUSTIFICATIVA..... ...................................................................................................................9
4. OBJETIVOS.............................................................................................................................10
    4.1 Objetivo Geral........................................................................................................................10
    4.2 Objetivos Específicos............................................................................................................10
5. ESTRATÉGIA DE AÇÃO.......................................................................................................12
6. Atividade...................................................................................................................................12
7. REFERÊNCIAS .....................................................................................................................14


1.      Introdução


Partindo da necessidade de fortalecer a coletividade no trabalho pedagógico temos por objetivo neste trabalho, analisar, sob uma perspectiva histórica, o modelo de gestão da escola e os mecanismos de participação da comunidade nos dias atuais. Partimos do pressuposto de que a Gestão Escolar, principalmente a partir da última década do século XX, assume novas formas de trabalho, carregada de velhas concepções, mascaradas e maquiadas de supostas inovações, tendo a velha lógica do mercado como único determinante. Isso porque, as políticas educacionais, expressando o modelo assumido pelo Estado, operacionalizam-se, no interior da escola, a partir de determinadas formas de gestão.
Como o Estado brasileiro se dispôs, durante os anos 90, a atualizar-se dentro do paradigma neoliberal, busca-se compreender o significado de categorias como democratização, participação descentralização, desregulamentação, flexibilidade, criatividade e autonomia, que a escola assume como fontes inovadoras e/ou transformadoras da organização e/ou da administração escolar. Busca-se compreender, assim, aos novos significados de velhos termos, para melhor entender os propósitos da Gestão Educacional louvada a partir de uma nova visão social.
Hoje a escola necessita de uma visão nova, visão estratégica, sobretudo uma visão de futuro e sugestões, propostas e reformas na área da Gestão Escolar que visam apresentar novos modelos para aumentar a eficiência e a eficácia do sistema de ensino, de maneira a superar as velhas concepções pautadas nas teorias administrativas do início do século. Como dizem especialistas e educadores em educação, são proposições que convergem para novos modelos de organização do ensino público, calcados em formas mais flexíveis, participativas e descentralizadas de administração dos recursos e das responsabilidades. 
     Essas mudanças sugeridas, de fato, estão associadas aos processos de reestruturação da escola democrática, que afetaram, diretamente, o papel do Estado em suas funções e políticas públicas. Destacamos, nesse contexto, uma crise econômica que marca a retenção dos gastos principalmente na área social. Também lembramos a inserção e influência de organismos internacionais, principalmente os financeiros, que, ao concederem empréstimos, exigem adequação das políticas nacionais aos interesses do capital internacional. 
Ao mesmo tempo, convém lembrar que o Estado, a partir do paradigma neoliberal, é questionado, e responsabilizado pela crise econômica e política, pela falta de organização e pelo desperdício de recursos públicos. Discursos “críticos”, que, na verdade, objetivam [...] enxugamento, crise, recessão, medidas duras, privatização, desregulamentação, e outros de significado sempre sombrio. (COSTA, 1995, p.51). Nesse quadro, passa a ser justificado o deslocamento das prioridades, antes consideradas necessárias, como as da área social e educacional. No deslocamento de prioridades, o discurso, atribuindo a crise da educação brasileira à ineficiência do poder público de ensino, passa a exigir reformas educacionais.
Nesse processo de reformas, muita ênfase vem sendo dada à criação e fortalecimento de mecanismos de participação da comunidade no interior da escola. Divulga-se que as escolas devem superar os problemas educacionais e administrativos, incluindo-se os financeiros, encontrando novas fontes propulsoras do desenvolvimento na própria sociedade. Essas novas formas de gerenciamento da escola pública, visam à sua autonomia financeira, administrativa e pedagógica, através de parcerias, de contratos ou de participação ativa da comunidade.
O respaldo para uma gestão democrática na escola pública – entendida como uma abertura para a comunidade – também é assegurado, legalmente, na Carta Constitucional de 1998, “Gestão democrática do ensino público, na forma da lei”, através do Art. 206, Inciso VI. É garantido, também, na LDB, Lei 9.394/96, nos artigos 14 e 15, que destacam a autonomia institucional como importante forma de flexibilização da estrutura administrativa e pedagógica. Em síntese, os documentos oficiais da atualidade apontam regularmente para a necessidade de participação dos profissionais da educação e membros da comunidade tanto na administração escolar como na elaboração do Projeto Político Pedagógico de cada instituição. 
Portanto para fortalecer a participação das famílias e da comunidade escolar, o Projeto de Intervenção, busca uma maneira eficaz de entender melhor importância do acompanhamento do processo da aprendizagem dos seus filhos.  Através desse convívio é que a escola e a comunidade escolar irar compreender que tal relação de compartilhamento dos problemas e decisões é que se pode obter um sucesso esperado para a consagração do padra de excelência. Para tanto tais questionamentos descritos a seguir deverão ser entendido e executado através do Projeto de Intervenção: Que condições determinam a sistemática a favor da participação da comunidade na escola? Quais dimensões têm tomado a gestão da escola pública na participação da comunidade, no espectro de sua modernização democrática? Por que a convocação ao público para entrar nas escolas se tornou tão importante no campo das políticas públicas? Em que medida estes mecanismos de participação da comunidade na escola vão ao encontro das políticas econômicas e sociais de maior qualidade? Que pressupostos têm embasado a elaboração desse modelo gerencial? Como esse melhorar a participação no âmbito das escolas da nossa comunidade?
Muita coisa precisa ser feita para que a escolas do nosso município venha a atender as expectativas dos cidadãos no sentido de fortalecer a gestão pedagógica e participativa. Na comunidade onde está localizada o Núcleo Educacional Darcy Ribeiro, conhecemos muito da realidade dos nossos alunos, porém nem sempre podemos afirmar com clareza a situação sócia econômico dos mesmos.
Portanto, o Projeto de Intervenção será desenvolvido visando concluir a identidade pessoal e social da escola numa visão democrática e participativa. Por outro lado, o mesmo deve propor o conhecimento e valorização das diversidades étnicas, cultural de todos os membros da comunidade, valorizando a participação social e coletiva.
 

2.      CARACTERIZAÇÃO DA UNIDADE ESCOLAR



     A Escola Municipal Darcy Ribeiro, localizada no município de Presidente Jânio Quadros Bahia, situada no povoado de Serra Escura distante da sede do município a 22,0 km, zona rural é uma escola com sete salas de aulas, uma cozinha, dois banheiros masculino e feminino. Para fins administrativos, conta com uma sala de diretoria e uma secretaria. Não possui biblioteca. É uma escola pública formada por 347 alunos de Educação Infantil a 8ª série do ensino fundamental com faixa etária entre 03 aos 19 anos, oriundos da comunidade e região, funciona nos turnos matutino e vespertino.
O desafio de trabalhar nesta unidade escolar é que seus alunos são em sua grande maioria de classes multisseriadas, filhos de pais trabalhadores rurais, com pouca escolaridade e alguns mesmo são analfabetos. Isso tem dificultado muito trabalho escolar dos docentes, pois esses alunos muitos tem uma jornada de trabalho exaustiva em propriedades rurais, ou em estabelecimento comercial, domestico ou outra atividade que favoreça melhor condição de vida. Mesmo sendo alunos que sobrevivem com ajuda do Programa Bolsa Família e Bolsa Escola, eles precisam complementar a renda para ajudar a família.
Outro fator que dificulta a aprendizagem dos alunos e que pretendemos corrigir com o Projeto de Intervenção, é a falta de iniciativa dos pais, para ajudar no aprendizado dos filhos, pois muitos por se julgar analfabetos, dependentes do álcool, defende a afirmação que eles não sabem como lidar com os problemas escolares e que essa tarefa é exclusiva dos professores. A escola está inserida numa comunidade culturalmente subdesenvolvida, porém os valores culturais, os festejos, as comemorações as atividades folclóricas da região são todas preservadas com muita intensidade. Destaco as Cavalgadas que são patrimônio cultural do município, os Ternos de Reis, os festejos juninos e as gincanas culturais idealizadas pela escola Darcy Ribeiro.
 A escola sede possui mais três escolas anexas, que funciona como extensão, são elas: Antonio Carlos Magalhães com 59 alunos, Duque de Caxias com 16 alunos e Plauto Alves Brito com 12 alunos, todas elas com atendimento de pré-escola a quarta série. Após esses alunos concluírem a 4ª. Séries são remanejados para a sede do Núcleo para concluírem os estudos na etapa de 5ª. a 8ª. Série. 
 Nesta escola as salas de aulas são arejadas, espaçosas e iluminadas. A escola passou por uma única reforma no ano de (2006), custeada com Recursos dos Padrões Mínimos de Qualidade oriundo do Banco Mundial e Governo da Bahia, essa reforma foi coordenada pela direção da escola em parceria com a Associação de Pais e Mestres e o Colegiado Escolar, o que podemos constatar a importância da comunidade na atuar nesse processo de gestão financeira.  Mas mesmo com essa reforma a escola ainda tem problemas de estrutura física que até hoje a administração municipal ainda conseguiu resolver. O pátio, os banheiros, a construção da biblioteca ou espaço de leitura e uma quadra esportiva para o lazer dos alunos.
O corpo administrativo, pedagógico e docente é formado por uma equipe distribuída da seguinte forma: Direção e Técnico Administrativo a) Diretor- Licenciado em História e duas vices, sendo uma licenciada em Biologia e outra com o superior incompleto cursando Pedagogia, Secretária Escolar Licenciada em geografia e duas assistentes uma com nível médio e outra com o fundamental incompleto; b) Docentes dez com superior completo e um com superior incompleto; c) Pessoal de Apoio 11 todos com as séries iniciais incompletas.
A escola tem o propósito de melhorar a qualidade de ensino, embora diante de todos os esforços o IDEB de 2011 com relação ao de 2009 caiu de 2,9 para 2,8. Um novo Plano de trabalho está sendo implementado como o Programa Mais Educação, o PDE Interativo todos aprovados pelo MEC, aguardando a liberação dos recursos para custear a realização dos projetos, oficinas e capacitações definida para 2012 e 2013. Outra atividade que a escola pretende retomar é o incentivo às atividades culturais de entreterimento todas suspensas no decorrer deste ano devido uma crise financeira na Administração Municipal e os Recursos do PDDE que a escola recebe é utilizado unicamente para compra de material de apoio pedagógico.
 A relação professor – aluno x comunidade é de parcerias solidárias que enfrentam desafios e problematizações do mundo contemporâneo e se apropriam da colaboração, da cooperação e da criatividade para tornar a aprendizagem colaborativa, significativa, critica e transformadora.
A prática de ensino na escola de ensino fundamental deve-se constituir num espaço de produção de conhecimento sobre a prática pedagógica desenvolvida no cotidiano da escola, através de um processo criador e inovador, de análise e de reflexão, aproximando todos envolvidos na escola. Entendendo que está é uma experiência peculiar, porém não desvinculada de um contexto social, político, cultural e pedagógico mais amplo.
A escola Darcy Ribeiro tem consciência que diante de todas as dificuldades enfrentadas, do baixo nível de aprendizado dos alunos, da alta taxa de reprovação, conforme foi diagnosticado na Elaboração do Plano de Trabalho e de Formação Continuada dos seus professores, o fortalecimento da parceria com a comunidade é de fundamental importância.  Com isso o Projeto Político Pedagógico (PPP) da escola pode ser inicialmente entendido como um processo de mudanças e de antecipação do futuro, que estabelece diretriz e proposta de ação para melhor organizar, sistematizar e significar as atividades pela escola como um toda a comunidade.  Com tudo isso a Escola Darcy Ribeiro, conta com atuação dos Conselhos (APM e Colegiado Escolar).
Este novo modelo de trabalho, visa á promoção da transformação necessária e desejada pelo coletivo escolar e comunitário. Ele é movimento de ação e reflexão que enfatiza o grau de influência que as decisões tomadas na escola exercem-nos demais níveis educacionais.
Segundo Veiga (1998, p.77), o Projeto Político Pedagógico ultrapassa a mera elaboração de planos, que se presta a cumprir exigências burocráticas ele busca um remo, uma direção. É uma ação intencional, com um sentido explicito, com um compromisso definido coletivamente. Por isso, todo projeto pedagógico da escola é, também, um projeto político por estar intimamente articulado ao compromisso sócio - político e com interesses reais e coletivos da população majoritária.
Teve como base teórica na construção do PPP da Escola Municipal Darcy Ribeiro a Tendência Libertadora de Paulo Freire.  A concepção Libertadora, sistematizada por Paulo Freire, a sua prática com educação popular, apoia-se em visão dialética do ato de ensinar e aprender. Segundo essa concepção, “educador e educando aprendem juntos em uma relação dinâmica, na qual a prática orientada pela teoria reorienta essa teoria, em um processo de constante aperfeiçoamento.” (GADOTTI. 1999 p. 253).

3.      JUSTIFICATIVA


Para solucionar a problemática da ausência da família na escola, cuja intensão do Projeto de Intervenção é fortalecer a participação da comunidade na escola, pretendemos fortalecer a participação dos membros da comunidade nos órgãos colegiados, nas reuniões, nas atividades culturais e nos movimentos realizados pela comunidade no ambiente externo da escola. Com isso a equipe pretende resolver o problema do fracasso escolar, assim como a repetência, a evasão, a indisciplina e a desmotivação dos alunos, que vêm sendo apontado como um problema principal para a aprendizagem dos mesmos.
Além do mais a rotatividade dos professores entre as classes, os alunos egressos das turmas multisseriadas tem dificultado bastante o trabalho principalmente nas turmas de 5ª. série. Dessa forma, esta instituição de ensino tem como meta, também, priorizar a parceria entre a comunidade onde está inserida, a participação de pais na Escola, sem perder de vista a importância de junto a Secretaria de Educação tentar reverter esse problema e para tentar solucionar essas dificuldades a escola pretende repensar junto com os pais de alunos, membros do poder público uma forma de melhor enturmar esses alunos e oferecer o tratamento diferenciado.
A integração de professores, alunos e comunidade deve acontecer de imediato para que sejam de vez sanados os problemas enfrentados pela Unidade Escolar. Acreditamos com o apoio dos pais, com um projeto de trabalho em parceria com comunidade, voltado para melhoria do conhecimento e para a formação de hábitos de convivência imbuídos do sentimento de solidariedade, o qual  oportunizará uma contribuição importante para a erradicação da evasão, da repetência, da indisciplina, além de despertar o respeito ao outro enquanto cidadão e da consciência da família em está envolvidos com a problemática escola da sua comunidade. 


4.    Objetivos

 

4.1 Objetivo Geral

 

            Promover o fortalecimento e a participação da comunidade escolar, nas decisões da escola, dos projetos, das atividades culturais, buscando o transparecer a melhor aplicação da politica de trabalho, dos recursos, zelando pela aprendizagem dos alunos, pois, os encontros constantemente com pais e responsáveis devem melhorar a motivação escolar, assim como reduzir os altos índices de abandono e reprovação nas séries inicias do Ensino Fundamental. Possibilitando a recuperação do respeito ao outro no dia-a-dia, levando professores, alunos e comunidades a buscarem, dimensões atuais dos campos históricos, sociais, culturais; permitindo ao aluno conhecer e respeitar os modos de vida de diferentes grupos sociais, incentivando o convívio Escola X Família.



4.2  Objetivos Específicos


O Projeto de Intervenção, será desenvolvido com o propósito de fortalecer a parceria com a comunidade a fim de resolver os problemas identificados na elaboração do mesmo e também do PDE Interativo, por isso,  iremos concentrar esforços para:

Ø      Realizar treinamentos com os professores para melhorar o tratamento com as pessoas da comunidade;

Ø  Criar parceria com os pais do educando para que estes tenham participação efetiva no processo ensino-aprendizagem.

Ø  Desenvolver Projetos Especiais, envolvendo 100% dos alunos da Unidade Escolar.


Ø  Ministrar aulas e projetos que induzam a permanência de 100% dos alunos na Escola.

Ø  Realizar diagnóstico para acompanhar o desenvolvimento dos alunos em tempo real;

Ø  Recuperar os alunos em atraso escolar dentro da unidade letiva, evitando que o mesmo sinta-se desmotivado;

Ø  Realizar reunião com a equipe docente e comunidade escolar a cada dois meses para avaliar o desempenho do PPP e do PDE;

Ø  Promover eventos com os professores, e a comunidade  pelo menos duas  vez durante o ano letivo;

Ø      Desenvolver Projetos de atividades integradas, envolvendo todos os alunos do Ensino Fundamental.

Ø  Garantir os padrões de excelência visando alcançar as metas do IDEB;


5.    ESTRATÉGIA Da AÇÃO


Apresentamos no quadro abaixo a descrição das atividades propostas para o ano letivo de 2013. Esta proposta pressupõe uma visão positiva das possibilidades dos alunos e uma aposta no crescimento da competência do Núcleo Escolar Darcy Ribeiro ao desenvolver o seu trabalho educacional na sociedade.
Identificadas às necessidades dos alunos, o trabalho deverá desenvolver-se de maneira flexível, sem, contudo, desviar-se dos rumos propostos, dentro de um padrão metodológico sustentado em princípios norteadores da Educação Nacional. Desta forma, mobilizar interesses, ativar a participação, desafiar o pensamento, instalar o entusiasmo e a confiança, possibilitar acertos, valorizar os avanços e melhorar a autoestima passam a ser diretrizes da atuação do professor, numa busca constante de tornar significativo o processo da construção do conhecimento.
Estes princípios gerais deverão direcionar a organização das situações de aprendizagem do Ensino Fundamental, possibilitando que os alunos vivenciem situações vivas e enriquecedoras de conhecimento, com múltiplas oportunidades de diálogo e de expressão, integração grupal, experimentação e manipulação de materiais e possibilidades de observar, indagar, tirar conclusões, organizar dados, discutir regras de trabalho e normas disciplinarem.

6. ATIVIDADES
Atividades (detalhamento)
Responsável (is)
Envolvidos (as)
Data
Recurso(s) necessário(s)
Resultados Esperados
Realizar um calendário de reunião para discutir com os envolvidos da comunidade escolar os problemas enfrentados no dia a dia da escola;
Direção e Coordenação Pedagógica;
Todos os membros da Comunidade Escolar;
Primeira quinzena de março;
Material de apoio pedagógico, de áudio e vídeo.
Melhorar a participação da família na escola.
Elaborar dois projetos esportivos para elevar a autoestima dos educandos;
Professora Carmem
Docentes e discentes.
Ultima quinzena de maio e primeira quinzena de julho
Material esportivo (Recursos do PDDE);
Melhorar o índice de reprovação dos alunos.
Fortalecer a participação da família na escola.
Direção
Todos os membros da Comunidade Escolar
Durante todo ano letivo.
Material de apoio pedagógico, de áudio e vídeo.
Mais pessoas participando das decisões da escola.
Reativar o Colegiado Escolar para respaldar as decisões democráticas e participativas.
Diretoria do Colegiado.
Membros do Colegiado Escolar.
Primeiro bimestre de 2013.
Material de apoio pedagógico, de áudio e vídeo.
Colegiado atuante e participativo.
Resgatar o Projeto visita as famílias para fortalecer a relação escola x comunidade.
Equipe Pedagógica e Coordenação
Toda a equipe da escola.
Durante o ano letivo de 2013
Transporte escolar.
Melhor relacionamento entre Escola e Família.
Realizar frequentemente assembleia da APM, para aplicação dos Recursos adquiridos.
Diretoria da APM
Sócios da APM e membros da comunidade escolar.
A cada trimestre de 2013.  
Recursos do PDDE, PDE Interativo, Mais Educação.
Garantia da eficácia e aplicação dos recursos.
Criar a banda fanfarra da escola para animar os eventos culturais da mesma.
Professores e alunos.
Alunos da Unidade Escolar.
Primeiro semestre de 2013.
Recursos do Mais Educação.
Alunos motivados e banda formada.

7. Referências



EFICAZ, Gerenciado a Escola Eficaz- Governo do Estado da Bahia- 2001- 2002;

LDB- Lei  Diretrizes e Base da Educação, 9394/96.

GESTÃO, de Programa do Núcleo Escolar Darcy Ribeiro, Quinquênio 2011 a 2015. 

PPP- Projeto Político Pedagógico do Núcleo Escolar Darcy Ribeiro- 2008 – 2009.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da Pesquisa-Ação. 14 ed. São Paulo: Cortez, 2005.

VAZQUEZ, A. S. Filosofia da práxis. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

3 comentários: